Depois de vários meses de silencio, retomo o blog. Tinha a ideia de voltar a escrever em Janeiro, de preferência já no primeiro dia do ano. Esse plano foi adiado no antepenúltimo dia do ano passado, quando a vida me pregou o maior golpe da minha vida, a perda do meu pai.
Se foi difícil em todos os aspectos, o Figueirense merece um capitulo especial, já que traz de um modo muito forte a lembrança do “velho”. Difícil ir ao estádio sem o “pré-jogo” e o “pós-jogo” com ele ou, comemorar a vitória no clássico, sem trocar piadas para zoarmos os Bvaianos.
Por outro lado, nas horas mais difíceis, é natural procurarmos os lugares onde nos sentimos bem. Em poucos lugares me sinto tão bem quanto o Scarpelli, por isso nunca deixei de ir aos jogos, mesmo que isso fosse muito difícil no inicio.
Refeito do golpe, até onde isso é possível, retomo esse blog que agrega duas paixões: escrever e o Figueira.

Anúncios