O primeiro jogo da semifinal entre Figueira e JEC já mostrou toda a emoção que imaginávamos que teríamos nessa reta final de campeonato. O placar de 1 x 1 talvez tenha sido o resultado mais justo por todos os fatores envolvidos nesse jogo. Dois times com desfalques importantes, principalmente pelo lado do Furacão, que não pode contar com a sua dupla titular de ataque, ambos machucados. JEC sem o Lima na frente vira um time comum. É inegável a falta que esse jogador faz ao ataque adversário, já que Alex não consegue fazer sua função de pivô e finalizador.

Mas vamos ao jogo. Branco armou um time com 3 volantes, dando clara liberdade para que Doriva encostasse mais em Roni, Botti e Fernandes, posicionados mais a frente. Mas Doriva começou marcando mais o ataque do JEC e falhou no seu primeiro lance, levando um giro do Ramon, acabando por cometer pênalti, mas que o juiz assinalou falta fora da área. Não da pra admitir que Ramon, com toda aquela “velocidade”, faça um giro daquele em nosso marcador. Alem disso, o nosso volante perdeu um gol cara a cara com o goleiro, isolando a bola no chute. O gol do JEC não demorou a sair, após um falta cobrada em direção ao gol, onde nosso grande goleiro Wilson cometeu uma rara falha. Ainda no primeiro tempo, Túlio caiu na malandragem do adversário. Reclamando de um empurrão, o nosso volante quis tomar satisfação com o jogador adversário e acabou por empurrar ele. Claro que o jogador do JEC iria valorizar e é claro que o juiz iria ver. Resultado: uma expulsão ridícula do nosso jogado,alias, mais um cartão que levamos por atitudes bobas.

A partir desse momento o jogo ficou mais estudado, mais lento. Destaque para o nosso ídolo Fernandes, que fez um grande jogo. Como é bom ver nosso craque ganhando ritmo de jogo e mostrando que pode ser o fator decisivo nessa etapa do campeonato. Roni também fez um bom jogo, sendo a principal válvula de escape para o nosso time. Com o gol no inicio do segundo tempo, vimos o Figueira dominar o jogo, imprimindo seu toque de bola. Claro que não por muito tempo, já que era imaginado que Argel lançaria seu time ao ataque, com o fez, pressionando nosso time. Podemos destacar a partir daí uma grande partida do nosso setor defensivo. João Paulo entrou para compor uma linha de 3 zagueiros, entrando bem alias. Canuto mais uma vez com uma boa partida e Sandro jogando de forma seria fizeram do nosso setor defensivo uma muralha na segunda etapa, apesar de alguns sustos. Tivemos um pênalti não marcado também em cima do Coutinho, mas creio que o arbitro tenha usado a famosa compensação, já que havia errado no lance para o JEC no inicio do jogo.

Agora, é arrumar o time para o próximo jogo. Um simples empate garante nossa presença na final. Mas não podemos ficar esperando que teremos um jogo fácil. Será o grande teste para sabermos o quanto nosso elenco suportará a pressão e se vai saber jogar o jogo todo com o resultado em suas mãos. Nesse domingo vimos grandes times pelo Brasil serem surpreendidos em seus jogos nos Estaduais, então toda atenção é pouca.

Outro assunto que dominou esse jogo foi a declaração de Lima falando da proposta recebida do Figueira por ele. Pelo o que ele falou, da pra se acreditar que o destino dele deva ser mesmo o nosso Furacão. Claro que esse tipo de noticia lançada pelo jogador pode ter o simples objetivo de pressionar seu time a aumentar uma possível proposta de renovação. No mais nos resta observar o desfecho dessa historia. Já defendi aqui esse jogador, pois acho que Lima precisa de um teste em um time de ponta e o Figueira seria esse teste. Agora é descansar o elenco e entrar motivado para garantir a vaga na decisão para enfrentar a Chapecoense… hehehe… Abraços!!

Anúncios