Que jogo ruim nesse domingo. Finalzinho de tarde chuvoso, frio intenso e mesmo assim corajosos alvinegros foram ao Scarpelli na esperança de ver o nosso time arrancar de vez no campeonato. Depois de dois empates fora, enfrentar a Ponte Preta em casa era a cereja do bolo para já abrir uma pequena vantagem aos famosos adversários diretos da tabela. Só que dessa vez Argel Fucks, que já elogiei muito, que deu raça a esse time, acabou por deixar todo esse enredo mais difícil.

Jogar contra o Corinthians fora de casa e armar o time com TRÊS volantes é até explicável e justificável. Mas jogar em casa com a Ponte e colocar em campo essa mesma formação é uma total falta de bom senso. Desde os primeiros minutos já ficou claro que o time teria um buraco gigante entre os volantes e os três atacantes do time. Roni, Caio e Julio são peças nulas nesse esquema, pois são pouco acionados e sem companhia para criar jogadas. A bola chega quadrada, muitas vezes vinda de chutões. Para tentar armar o time, Roni e Julio acabavam por vir buscar a bola quase no campo defensivo. Pior ainda era quando Túlio, tentava em vão fazer o papel do armador.

O primeiro tempo foi então 45 minutos jogados fora. Mesmo com a entrada de Luiz Fernando no lugar de Jackson ainda durante a primeira etapa, o time não conseguiu entender o novo esquema e só chegou ao gol adversário através da bola parada. Pior foi ver o adversário ter as melhores chances. Para o segundo tempo Argel mais uma vez sacou Roni do time para colocar Aloísio. De imediato já se viu o time mais agressivo, com mais posse de bola no ataque, brigando por cada bola. Mas apesar de toda insistência, o gol não saiu. E pra piorar, em uma tentativa de ataque do Figueira, Pablo, mais uma vez ele, errou um passe no meio campo dando um contra-ataque para a Ponte, que só foi parado por Sandro na entrada da área, ocasionando mais uma expulsão. Depois disso, Argel tentou organizar o meio para se segurar. Mas a derrota só não veio por falta de qualidade do adversário, por que espaço para criar e chances para fazer ocorreram para eles.

O saldo do jogo foi um empate, talvez até muito para o time covarde em atitude colocado em campo hoje. Argel defendeu o esquema inicial falando que o time sente a falta e espera por Botti. Ora, apesar da qualidade de Botti, é patético ouvir que o esquema por ele sonhado dependa da presença dele em campo. Não podemos ficar dependentes da participação de um jogador já com três lesões no ano. É bom Argel achar um novo estilo de jogo, pois se não teremos um ano longo e de muitas emoções pela frente. Outro fator a se destacar, é a insistência INJUSTIFICADA em Pablo. Mais uma vez esteve muito abaixo da crítica. Alem de não cumprir nenhuma função que um lateral tem que cumprir, ainda armou diversos ataques do adversário. E pelo o que parece, terá vida longa por aqui. Nem se comenta uma contratação para o setor depois da desistência de Maranhão. É triste as vezes vir pensamentos de saudade em relação ao Paulo Sergio na nossa lateral. Éramos felizes e não sabíamos. Claro que é uma brincadeira, mas a situação atual da nossa lateral é triste. Abraços!

Anúncios