Depois de um dia avaliando o que ocorreu ontem no Scarpelli, ficou uma duvida na minha cabeça. Seria nosso time incompetente ou deficiente? Será que temos um bom elenco mas que não consegue render? Ou temos um elenco deficiente, carente de boas peças? Esse tipo de duvida surge na hora que vivemos um momento delicado no campeonato e logo no seu inicio. Depois de seis jogos, somamos apenas SETE pontos. Naquela famosa conta dos pontos perdidos em casa, já somamos QUATRO pontos perdidos em 3 jogos.

Primeiro tentei pensar que o nosso time seria então incompetente. Afinal o sentimento que ficou da partida contra o Cruzeiro foi de que tivemos todas as condições de ganhar mas pecamos na hora de finalizar. Ontem mais uma vez tivemos chances de matar um jogo fácil, contra um fraco adversário, mas a falta de pontaria prejudicou nosso time. Fiquei pensando no qual incompetente Pablo foi durante o jogo, ou melhor, o quanto está sendo durante todo ano. O gol do Bahia saiu após uma falha grotesca dele. Não tem como criticar a torcida com a reação durante o jogo. Foi apenas a gota da água. Mais um momento que sucumbimos durante a partida por um erro dele. Mas a culpa não é só dele. Aloísio displicente deu as caras ontem novamente. Nosso atacante do inicio do ano parece ter sumido após as lesões. No primeiro tempo, num raro momento de felicidade de Pablo, Aloísio so tinha que colocar de cabeça para dentro, mas errou feio. No segundo tempo teve duas chances no mesmo lance para liquidar o jogo, mas com duas finalizações bizarras, deixou a vitoria escapar. Claro que deu a assistência para o nosso gol, mas não fez o que se espera do camisa 9.

Pensando que o nosso time é deficiente, logo me vem a cabeça a falta de peças que tem o nosso elenco. Hoje temos apenas um lateral direito, sendo esse o Pablo. Dois bons volantes, mas sem peça de reposição para esses dois. Para o ataque, temos alguns jogadores, mas sem o matador do time. Fica claro que depender de Aloísio para ser essa peça é uma decisão equivocada. Ele com certeza vai fazer bons jogos, mas já conhecemos o quanto as suas falhas gostam de aparecer. E ainda me fica uma pulga atrás da orelha sobre nosso meio e zaga. Não gostei do que vi do Almir ontem. Parecia totalmente fora de posição, sem mobilidade e pouca opção de jogo. Acho que não é o jogador para essa posição, quem sabe mais a frente. A nossa dupla de zaga jogou ate bem, mas ainda falta mais qualidade para o resto da nossa zaga.

Ontem a discutida formação com três atacantes sucumbiu a marcação do Bahia. O time não teve a mobilidade no primeiro tempo, alem de não ter formação de jogada. Poucas chances criadas e muitos erros de passes. No segundo tempo Argel mudou o time, e deu certo. Era evidente a melhora, mas ainda assim pouco efetiva. O time só jogou pela direita. Era incrível como a bola não saia daquele setor. A explicação seria a que Julio Cesar estava por ali, e foi claro que ele ontem era a peça chave. Só que acabou por se tornar previsível nosso time. O Bahia simplesmente fechou o setor e tentou ao máximo impedir jogadas pela linha de fundo. Enquanto isso, a passagem pelo lado esquerdo estava livre. Em dois lançamentos em direção aquele setor, nosso jogador entrou livre. Só que pouco usamos essa jogada.  Marquinhos estreando de forma tímida, fez o básico mas foi bem. Mas ontem Guilherme fez falta. Aquele espaço seria ideal pra o seu futebol.

Mas voltando ao assunto principal do post, tenho a seguinte conclusão: Nosso time é deficiente, pois não temos as peças necessárias e algumas das que temos não conseguem exercer o que se espera. Enquanto isso, o incompetente fica para definir a nossa diretoria, afinal, mesmo sabendo da deficiência  do nosso elenco, pouco o fez para reforçar. Está desde o final do Catarinense na novela da contratação do lateral Eduardo, passando pela sondagem a Maranhão, mas até agora nada. Na hora que tinha gente no mercado não contratou. Já to até vendo aquela velha desculpa surgindo novamente por aqui para falta de reforços: “O Mercado está em Ebulição”. Abraços.

Anúncios