Incrível ver a situação do nosso time após praticamente 7 meses de trabalho no ano. Estamos chegando a Agosto e ainda não temos um time formado, não temos um padrão de jogo, não temos elenco, melhor, não temos NADA. A guerra de vaidades impera solta dentro do Scarpelli e o reflexo se da em campo, com um time perdido, desatento e muito fraco em suas tentativas durante o jogo. A derrota de ontem foi apenas mais um capitulo triste que o torcedor alvinegro é obrigado a ver esse ano. Fomos dominados pelo lanterna da competição, alias, posto esse que nos espera pelo andar da carruagem.

Hoje o Blog do Diego, o Tainha, no Globo Esporte abordou de forma excelente o atual momento interno vivido no Figueirense, com uma diretoria impotente, nas mãos de uma parceria que vem se mostrando cada vez menos interessada no sucesso do clube por um todo, se importando apenas com o SEU sucesso financeiro, o que deve acontecer naturalmente ao longo dos anos com os direitos conseguidos sobre atletas da base. Marcos Teixeira virou o personagem mais importante do clube, parecendo ele o manda chuva, colocando pra escanteio a participação de Lodetti. O Conselho assiste de camarote sem ação a decadência do modelo de gestão.

E o reflexo está dentro de campo.  Hoje Argel foi despedido e será apenas o segundo a ser demitido esse ano se a situação não mudar. A continuar com essa administração frouxa e sem investimentos, mais técnicos virão e partirão de forma rápida. Uma serie de fatores acabam por colaborar com o péssimo ano vivido:

– A escolha de Branco: Depois de um ano brilhante, o torcedor alvinegro ficou na esperança de estar vivendo um novo momento no cenário nacional, mas a escolha do aprendiz de treinador fez com que a animação acabasse e o time colhesse ate hoje a falta de experiência do antigo “treinador”.

– Desmonte do time: Do time que fez sucesso ano passado, restaram apenas poucas peças, e muitos dos destaques se foram sem ter peças de reposição adequadas. Apenas Wilson, Tulio e Julio Cesar permaneceram do time titular.

– Renovações equivocadas: O time do ano passado, apesar da excelente campanha, apresentou peças deficientes e que pra surpresa de todos acabaram por ter contratos renovados. Coutinho, Pablo, Helder, Aloisio e João Paulo são os exemplos claros disso. Leo também pode ser colocado nesse exemplo, pois após não ter sucesso no fraco Duque de Caxias, voltou pra brigar pela titularidade.

– Contratações de pouco impacto: Alguns jogadores foram contratados para ser os novos titulares e decepcionaram. Canuto e Fred chegaram para comandar a zaga e não conseguiram mostrar um bom serviço. Toró veio no inicio do ano como estrela e não fez nenhuma grande apresentação. Botti, Doriva e Luiz Fernando vieram para comandar o meio campo e decepcionaram em meio a lesões, fracas exibições e total falta de vontade, respectivamente. Niell veio pra ser estrela do ataque, mas pouco fez e ainda está parado sem expectativa de retorno. Saldivar dispensa comentários.

– Preparacao física deficiente: lesões e mais lesões. A cada semana novos integrantes no departamento médico. O noticiário de lesões do Figueira apresenta mais novidades do que as noticias do departamento de futebol ou de treinamentos. Alem disso o time é fraco e sucumbe no segundo tempo na maioria dos jogos.

– Fraco poder de contratação: mesmo depois das deficiências serem expostas, a diretoria não tratou de buscar reforços adequados. Pablo mostra desde o ano passado que não tem capacidade para jogar num clube da serie A, e ainda continua sendo a única opção no elenco. A eterna busca por um substituto a ele rendeu somente noticias e interesses, não tendo o clube capacidade de contratar Eduardo do JEC e perdendo Maranhão para um time da Serie B. Alias, o clube fracassou na tentativa de trazer alguns, como Lima, Josemar. E não adianta se apoiar apenas na vinda de Loco Abreu pra defender a diretoria.

Enfim, um serie de fatores que explicam o fracasso vivido pelo nosso clube. O pior é ver o ano ser jogado fora a cada semana, sem nenhuma ação efetiva do clube em impedir isso. Quem sabe a contratação de um treinador experiente seja o primeiro passo para mudar o panorama assustador que se apresenta. Avante Figueira!

Anúncios