Depois de mais um derrota, sinceramente me falta animo pra mais uma vez destacar os diversos pontos negativos que habitam nossa equipe. A sucessão de resultados desastrosos acabam por mais uma vez sacramentar a lanterna do campeonato para nosso Furacão. A derrota por si só já seria um motivo para um péssimo dias por aqui, mas uma entrevista coletiva nessa tarde tratou de incendiar ainda mais o ambiente. A nossa “parceira” Aliance, ameaçou deixar o clube, por divergências na forma de administração, dizendo que o futebol do nosso time é conduzido de forma amadora, o que resulta em uma parceria com dificuldades de relacionamento interno.

Mas o problema não para somente nisso. Ontem pela primeira vez em muito tempo, nosso time mostrou um futebol que poderia deixar muitos animados, confiantes em uma recuperação dentro desse campeonato. Desde o inicio do jogo, fomos pra cima, criamos jogadas e a impressão de que um bom resultado poderia acontecer dominou a mente da torcida. Melhor ainda foi ver o Santos ficando com um jogador a menos ainda no inicio do jogo. Nosso time dominou o jogo, criando algumas oportunidades e tendo em Caio e Aloisio seus principais jogadores.

Só que Túlio resolveu ser o vilão da noite. Em um lance na lateral, deu um carrinho totalmente desnecessário e violento em Neymar. Alguem tenta me explicar como um jogador experiente que nem o Túlio comete uma falta daquele tipo. Realmente uma jogada digna de um CABEÇA DE BAGRE, coisa que sabemos que ele não é, apesar de as vezes cometer momentos bizarros. A nossa noite começava a ganhar tons de pesadelo.

Só que o inicio do segundo tempo reservou um bom momento de esperança, com Fernandes balançando a rede. Só que a alegria durou pouco, mais precisamente quando Neymar resolveu provar que valia a pena o investimento na viagem feita por ele da Suécia para o Brasil para jogar. Dominou nossa zaga, fez o que queria e acabou sendo determinante para  a virada Santista. Ainda tivemos que ver uma série de jogadores sentirem problemas de lesão, principalmente as tais musculares, que tanto apareceram aqui durante o ano.

Mas agora vem a reflexão: Será nosso Abismo tão difícil de sair? Sinceramente não acho. O que precisamos é imediatamente arrumar o nosso departamento de futebol e o comando do clube, para aí sim dar a base para esse grupo tentar sair do rebaixamento. Por que ontem, mais uma vez, jogamos um futebol que poderia ter sido suficiente pra ganhar o jogo. A diferença entre Santos e Figueirense ontem foi Neymar. As zagas mostraram ser do mesmo nível, cometendo falhas. No resto, nem mesmo Ganso conseguiu jogar mais que Fernandes, por exemplo, e Aloisio e Caio foram infinitamente melhores que Andre. Mas nosso time não define. Nosso time treme na hora de ganhar um jogo. Foi assim também contra o Bahia, Ponte, São Paulo, Flamengo…. Vou dar mais uns jogos de crédito para o nosso técnico, por que o time melhorou em matéria de esquema de jogo, mas precisa urgentemente ser DECISIVO. E temos que acreditar que isso é possível.

Anúncios