Começamos mais uma semana como a grande decepção do futebol brasileiro. Fomos mais uma vez uma presa fácil e tomamos um chocolate do Grêmio em pleno Olímpico, um estádio que sempre nos trouxe alegria, mas que foi dessa vez palco de uma vergonhosa partida. Uma analise rápida e fria do nosso time no jogo apenas diria que não entramos em campo. Totalmente envolvido desde o inicio do jogo, não tivemos o mínimo controle do jogo, que ainda nos fez acreditar que se o adversário quisesse jogar mais um pouco, talvez repetiria aquele vexatório 7 x 1 do passado.

No post anterior eu havia comentado sobre o abismo em que o nosso time se encontrava, mas que conforme o que eu estava vendo nos últimos jogos, me fazia acreditar que talvez não fosse tão difícil assim sair do “buraco”. Só que essa analise era baseada em uma evolução do time, ganhando corpo em um novo esquema de jogo, apresentando talvez um ímpeto maior pela vitoria. Mas ontem o time voltou atrás, esqueceu a evolução e mais uma vez foi medíocre em campo. Não fez por merecer em nenhum momento um resultado melhor. Com muitas falhas individuais e com um esquema confuso, pouco criou e pouco marcou.

Parece inevitável que uma mudança drástica venha a acontecer. Muitos setores do clube estão em total descontrole, faltando um grande líder. Fazendo um paradoxo com a Era Prisco, falta ao time um comandante forte como PPP foi naquele inicio da gestão, sendo a frente do clube, o homem de respeito entre todos os setores, a figura que tranqüilizava o torcedor e que mostrava pra imprensa quem mandava. Mas já venho aqui dizer que não sou viúva do Prisco, mesmo sabendo de todos os avanços na sua gestão, fui totalmente favorável a sua saída já em 2008. Pena que ainda fomos sugados por mais 2 anos pela aquele ultimo estado da gestão.

Helio dos Anjos é outro com os dias contados. Por mais que tenha apresentado alguma evolução em relação a Argel, não foi suficiente pra fazer com que o time conseguisse algo maior. Continuamos a ser medíocres. Uma mudança na comissão técnica no momento seria de total agrado, creio que para todos no clube, principalmente depois da briga entre o técnico e Guilherme Santos. Em brigas do tipo, o grupo de jogadores costuma ficar ao lado do jogador, o que pode ocasionar um racha entre elenco e comissão técnica. Quem sabe não seja a hora de um ídolo da torcida aparecer pra comandar. Quem sabe um Adilson Batista… ou um Macio Goiano…. abraços.

Anúncios