Estamos chegando ao final do primeiro turno bem longe dos objetivos que traçávamos no inicio do ano, após a grande campanha do ano passado. Foi incrível chegar na reta final do campeonato de 2011 com chances de título, tendo quatro jogos decisivos que poderiam nos levar a glória. Claro que só sendo muito fanático mesmo para acreditar que poderíamos ter levado aquele campeonato, mas como foi bom chegar ali, disputando ponto a ponto. E ainda ver que naquela reta final dominamos o Flamengo em pleno Maracanã, ter dominado o Fluminense no primeiro tempo, apesar do fracasso do segundo…. ter tido a possibilidade de ter ganho do Corinthians aqui, que deu um chute a gol e fez.

Mas o ano começou com uma situação diferente. Apostas e mais apostas foram feitas, principalmente com a chegada do novato Branco como treinador. O esquema base, vencedor nos ultimo anos foi desfeito, com a saída de algumas peças importantes. Pior foi ver que os jogadores saiam aos montes, sem retorno para o clube. Mas a montagem do elenco começou e muitos torcedores começaram a ficar animados. Um  zagueiro Argentino com passagem pela Seleção? Atacante argentino que detonou o Fluminense na Libertadores? Lateral da Seleção Paraguaia? Destaques do Criciúma? Hoje, passados 8 meses que esse time foi montado, qualquer esperança que teríamos um elenco qualificado foi por água abaixo. O atual time lembra e muito aquele fraco time do rebaixamento de 2008, apático em campo, com uma zaga fraca, meio sem poder e ataque pra lá de duvidoso.

Só que não adianta mais pensar no fracasso que foi até aqui. A mudança tem que acontecer agora, faltando um turno inteiro ainda, com a existente possibilidade de salvar o ano e evitar o desastre de voltar a Serie B justamente no ano em que o futebol Catarinense parece querer aparecer de vez na elite, com 3 clubes brigando para subir. A demissão de Helio dos Anjos era necessária para essa mudança. A química não aconteceu. Eu sempre acreditei que ele um dia viria para cá e faria um grande trabalho, mas não chegou na hora certa. Muito problemas internos deixaram o clube sem rumo e boa parte dessa disputa acabou refletindo em campo. Alem disso, a remontagem do elenco durante o campeonato não foi mais uma vez bem feita. Tirando a contratação de Caio, que foi o único que chegou e tomou conta da titularidade, alguns não conseguiram suprir defeitos já existentes. Loco Abreu chegou como estrela e pouco fez. Elsinho veio pra ser lateral, mas incrivelmente não joga na posição, pois é meio. Anderson veio e já foi.

O nome da vez é Marcio Goiano. CURIOSAMENTE, o nome que a diretoria batalhou para tirar do clube desde o fim da era Prisco. Quem não lembra dos vários momentos em que o cargo do treinador esteve a perigo, mesmo com as boas campanhas. E o demitiram após uma derrota de um turno no Catarinense de 2011, mesmo com a maioria da torcida a favor do treinador. Mas o momento é outro. Com o apoio da torcida, Goiano deve chegar esse fim de semana para tentar agrupar um elenco dividido, dar consistência a um time desorganizado. É bom lembrar que Goiano também pegou um time totalmente desorganizado e fazendo determinadas mudanças transformou o time, dando um toque de bola de qualidade. Fez de Maicon, por exemplo, um camisa 8 talentoso, em vez do péssimo jogador que antes habitava a parte mais ofensiva do time. O problema é que o tempo é curto, mas nosso eterno capitão vai contar com o apoio de todos para essa mudança. Avante Figueira!!!

Anúncios