Que a evolução do time nos últimos três jogos existiu isso não se tem duvidas. Realmente fomos mais agressivos durante os jogos, não a todo momento, mas pelo menos com uma certa objetividade que antes não existia. Mas só isso não basta para que a atual situação seja revertida. Após o fim dessa rodada, nos encontramos na penúltima posição com 19 pontos e com o agravante de nos encontrar no atual momento a 6 pontos do 16º colocado. Claro que pontuar sempre é importante, mas o que o time precisava no momento era fazer a maior quantidade de pontos nessa sequencia de jogos relativamente mais fáceis.

Agora teremos uma sequência de TRÊS jogos que nos possibilitam a pensar em um cenário de 9 pontos conquistados. Isso seria pensar GRANDE demais? Eu digo que não. E não por achar que nosso time seja superior a esses que enfrentaremos, mas sim por achar que em um campeonato tão nivelado, quem quer ficar para disputar esse campeonato ano que vem, tem que achar um momento de superação e fazer tal façanha. O principal ainda é analisar os CINCO jogos a vir depois desses TRÊS. Vasco e Atlético MG fora de casa, Atlético GO em casa e depois São Paulo e Inter fora. Não querendo bancar o pessimista, mas nesse cinco jogos, talvez conquistaremos uns 5 pontos e olhe lá. Isso pelo o que o time ainda mostra. Claro que tudo pode acontecer e o time embalar uma sequencia de bons resultados fora de casa e voltar em uma situação mais confortável.

Só que o ano não parece ser o nosso mesmo. Quando finalmente encontramos uma formação que encaixou melhor, aumentando o entrosamento do nosso time e deixando o nosso ataque mais incisivo, temos a noticia que para o próximo jogo não contaremos com Fernandes e possivelmente com Aloísio. Justo os dois jogadores que entraram e deram um novo ritmo ao time, fazendo com que Caio ganhasse companheiros a altura de sua dedicação e competência. Quem sabe esse não seja o momento onde Julio Cesar volte com todo o seu potencial e consiga repetir as boas atuações do ano passado e assim virar mais uma boa peça a disposição para o setor ofensivo.  O Cruzeiro joga aberto e com uma marcação frágil, o que torna necessário que o nosso ataque se movimente muito ao redor da área e que o meio campo que entre no lugar de Fernan10 tenha a competência de fazer com que a bola gire rápido em jogadas mais objetivas. Será que Roni consegue fazer esse papel?

Anúncios