O jogo contra o Cruzeiro foi uma amostra do que teremos até o final do campeonato, ou até onde nossa luta para fugir do rebaixamento durar. Jogo tenso, nervoso, cheio de erros, mas com aquela vontade que até agora não havia aparecido durante o ano. Marcio Goiano chegou e incorporou uma determinação ao elenco, um sentimento de que se pode sim querer fugir dessa situação. Ele simplesmente fechou um grupo para o trabalho. Os jogadores agora parecem treinados para entrar em campo e exercer a função que lhes foi pedido. Nada de grandes jogadas, lances de efeito, invenções. Goiano coloca o time simples, com três volantes tentando proteger a fraca zaga e o ataque tentando aproveitar os poucos momentos para guardar seus gols.

Claro que esse momento de recuperação passa também pela boa fase que vive nosso atacante Aloísio. Muito diferente do jogador do primeiro turno, ele voltou a ser o atacante infernal do catarinense desse ano. Com muita vontade, vem impressionando com sua entrega durante o jogo e principalmente pelo faro em aproveitar oportunidades que aparecem. Claro que muitos erros dele ainda acontecem, mas prefiro acreditar que isso seja pelo tanto de vezes que ele aparece para jogar ali na frente, não se escondendo em nenhum momento. Chega a dar raiva com aqueles impedimentos infantis ou então quando tenta de qualquer forma passar pelos zagueiros ou ainda quando leva cartões tolos. Mas sua fase está contagiando o time e a torcida.

Só que nem tudo são flores para a nossa continuação no campeonato. A zaga preocupa e muito. Edson e João Paulo não mostram confiança alguma. Com erros bisonhos, mostram toda a intranquilidade na hora de conduzir uma bola ou ao tentar afastar a bola da área. Sem contar a jogada pelo alto, onde os dois não conseguem ganhar a maioria das bolas, levando Wilson a loucura a cada cruzamento. Alias, cabe ressaltar a grande defesa de Wilson no chute do Souza, que garantiu nossa vitoria. Nas laterais temos dois jogadores que não comprometem, mas também não fazem grandes jogos. A camisa 10 sem Fernandes é um problema. Ronny não consegue fazer uma boa apresentação e acaba por comprometer o esquema feito por Goiano.

E pro próximo jogo ainda teremos um desfalque importantíssimo nesse momento: Aloísio suspenso não jogará contra um adversário direto. Goiano terá duas opções para montar o time, optando pela mobilidade de Julio Cesar ou então usando Loco Abreu como centroavante. Tudo vai depender da opção a ser usada na tática do time. Botti deve ganhar uma vaga no meio campo, cabendo ao nosso treinador optar por jogar no contra-ataque, usando Julio ou então jogar com uma referencia buscando ações pelas laterais. Assim, colocaria Loco Abreu no ataque, deixando o meio com TRÊS volantes, fazendo com que eles façam a cobertura dos laterais, para que esses possam em triangulações com Botti e Caio chegar a linha de fundo e procurar Loco na área. Nesse jogo, vai ser importantíssimo que o time tenha uma ação de marcar mais em cima, para que não fique o buraco em nosso meio. Uma vitoria contra o Bahia iria representar o novo momento do nosso time. O momento da recuperação.

Anúncios