É difícil chegar mais uma vez aqui no blog e tentar de alguma forma encontrar explicações para mais uma derrota do nosso Furacão. O jogo chave, o famoso jogo dos 6 pontos, passou e não decolamos. Fomos envolvidos por um time sem esquema de jogo claro, utilizando o único ponto em que tem algum sucesso, o da bola parada e levantada na área. Ai me vem a cabeça, como que um time, que sabe que vai enfrentar um adversário que SÓ utiliza essa jogada, me faz faltas bobas e repetidas perto da sua área? Como que esse time não se organiza defensivamente para tentar bloquear esse tipo de jogada? Simplesmente por ser patético demais.

No momento, se algum torcedor alvinegro vem até mim perguntar se eu ainda creio em uma salvação, se eu ainda acredito no Figueirense, eu respiraria fundo e diria com toda certeza: Não. Eu realmente não creio que esse elenco atual tenha a competência de salvar o nosso time da Serie B do ano que vem. Por mais que me doa ver o nosso time nessa situação, em determinados momentos me vem a cabeça aquela velho papo de que com certeza seria melhor um rebaixamento para a situação mudar. Aquela velha historia de arrumar a casa e depois voltar com mais força. Mas o detalhe é que faz QUATRO anos que passamos por isso, tendo essa mesma certeza de cair para arrumar a casa e simplesmente voltamos ao mesmo ponto. Um novo modelo de gestão que simplesmente afundou nosso clube após o sucesso dos dois anos anteriores.

Então, é pegando esse ponto da inevitável queda, que tenho a certeza, de que ano que vem precisamos mudar tudo, realmente tudo em nosso clube. Recomeçar do zero. A primeira situação é definir realmente quem vai mandar no clube, se a parceira vai continuar. Definir um sistema de gestão que tenha como objetivo claro sanar a situação financeira do clube. Criar condições para que no futuro, o clube tenha condições de ter um balanço financeiro adequado, sem sacramentar um futuro nebuloso. A idéia de um novo Estádio tem que ser abandonada. Mais uma vez o torcedor foi iludido por um projeto fantasioso. Tem que acabar de vez com isso por enquanto. Já temos um Estádio compatível com o que precisamos.

O outro ponto parte pelo departamento de futebol. Acho que a hora é de remontar uma equipe de preparação física. Algo novo, que mude essa realidade atual de muitas lesões musculares e a queda de rendimento durante os jogos. No comando geral desse departamento de Futebol, temos que trazer um profissional de nome, alguém com capacidade para contratar, que tenha conhecimento e boas relações. Gosto muito da figura do Chico Lins, principalmente pelas suas atitudes perante essa crise toda, mas não vejo nele o homem que conseguiria exercer uma função dessas. Ele é o homem entre a diretoria e o grupo.

Quando a comissão técnica, tenho minhas duvidas em Marcio Goiano para tocar essa renovação, mas mesmo assim apostaria em sua permanência. Agora o ponto chave é o plantel de jogadores. Eu DEFENDO uma mudança completa. Simplesmente não renovar, negociar e dispensar TODOS os jogadores do atual plantel. É realmente começar do zero. Precisamos acabar com alguns vícios óbvios que existem por aqui. Sei que vai ser complicado abrir mão de ídolos como Fernandes, Túlio e Wilson por exemplo. Mas será necessário criar uma identidade nova ao clube. Talvez ficaria com Fernandes, para ter enfim seu ultimo ano por aqui. Mas a idéia em relação a não ter essas peças no elenco é parar de blindar muitos jogadores. QUANDO a situação aperta no grupo, com cobranças, a torcida questionando, o clube simplesmente colocava esses TRÊS jogadores a frente de tudo, para que assim a torcida se acalmasse e a imprensa assim aliviar as cobranças. Quem não se lembra da final do Estadual, onde Fernandes foi o porta voz do elenco. Todos nós fomos juntos nas palavras do nosso ídolo, enquanto que atrás dele, muitos se escondiam, não se dedicavam, o que ficou claro naquele segundo jogo.

Outra coisa é mandar embora esses muitos jogadores “emprestados” ao nosso time. Hoje, poucos jogadores tem vinculo com o clube, sendo simplesmente peças de Uram e da Alliance. Claro que teremos jogadores de empresários, mas não podemos voltar a ser reféns dessa situação. A nossa categoria de base precisa mais uma vez ser reformulada. Categoria de Base tem que ser do CLUBE. Esses tipo de mudanças, ao meu ver, não necessárias. Como eu gostaria de chegar no final do ano me redimindo desse post e defendendo muitos aqui citados. Mas infelizmente creio que a Serie B do ano que vem será o momento certo de mudar tudo.

Anúncios