Hora de somar pontos

Iniciando a semana de astral renovado após a vitória contra o Oeste, o nosso furacão tem pela frente mais um adversário que luta na parte de baixo da tabela, o ASA , somando ate o momento 19 pontos, tendo uma defesa que leva muitos gols e um ataque que pouco produz, tendo feito apenas 20 gols em 17 jogos. É um dos times que mais perdeu, tendo 10 derrotas nessa serie B. Isso já bastaria pra salientar que esse jogo é pra somar 3 pontos, mas além disso é obrigação para o time, se quiser subir, ganhar fora de casa desses adversários.

Aquele time insinuante que vimos no primeiro tempo contra o Oeste deve mudar sua organização, principalmente pelos desfalques que Vinicius vai ter para montar o time. Sem poder contas com os suspensos Saci, Nem, Ricardinho e Rodrigo, o nosso treinador pode optar por reforçar mais a parte defensiva do nosso meio e tentar assim ter mais consistência. O medo que surge é que jogador ele pode utilizar para tentar criar essa consistência. O torcedor já começa a ter pesadelos pensando que Botti pode mais uma vez ganhar uma chance, mais uma entre as milhares que já teve. Creio que a solução que Vinicius deve ter será a titularidade de Denner e Hildo, passando Maylson mais para frente, atuando como o meia que vai encostar em Tcho na armação. Função essa que Maylson já exerceu, sem empolgar muito o torcedor. Só que dessa vez, atuando pela direita, ele vai ter o reforço de Willian, que pode fazer uma boa dupla pelas jogadas laterais.

De qualquer forma o time tem que atuar da mesma forma do ultimo jogo, indo pra cima, fazendo pressão, buscando o tempo todo criar possibilidades de gol. Não adiante ir jogar contra o ASA com medo de mais uma derrota, com medo de levar gols, tem é que jogar pra tentar ganhar….. o objetivo no jogo tem que ser fazer gols, pois parece óbvio dizer que o time só ganha marcando gols. Não se pode voltar ao esquema de jogo covarde que dominou nosso time nessa Serie B.

Um Recomeço….

Voltando com o Blog depois de um longo período… agora realmente com mais tempo, tanto eu, Luiz, quanto o colega Heverton retomaremos as atividades aqui.. abraços a todos…

———————————————————————————————————-

Em uma série B tão disputada como a desse ano, principalmente pelas ultimas duas vagas no G4, perder pontos contra um fraco time como Oeste não poderia nunca passar pela cabeça do Figueirense, muito menos após os repetidos desastres nas ultimas rodadas. E o que o nosso treinador poderia fazer tendo nas mãos um plantel fraco, com um repertorio de bobagens no setor defensivo, para tentar mudar essa sorte e fazer o dever de casa? A idéia chegou a ser estúpida de tão simples. Contrariando o nosso ex treinador Adilson Batista, que preferia defender ao máximo para depois  tentar algo no setor ofensivo, Vinicius colocou o time pra frente, buscando apoiar o time no que realmente tem de bom, os atacantes Rafael Costa e Ricardo Bueno.

O modelo usado por Vinicius é praticamente uma copia do estilo que o Criciúma levou a ultima serie B, jogando pra frente, buscando o gol a todo momento. O time deles ano passado poderia levar pressão, sofrer gols, mas a vocação ofensiva fazia do time um incansável na busca por um resultado. Quantas vezes o time deles decidiu um jogo nos últimos minutos, as vezes virando jogos impossíveis. Nosso time antes era sofrível. Levávamos pressão sem sair da defesa, apelando para chutões e usando nosso atacantes para armar os jogos. O resultado foi atuações medíocres desde o estadual, fazendo clássicos dando poucos chutes a gol, com uma atitude em campo de jogo treino.

Claro que podemos citar o fato do time do Oeste ser muito, mas muito fraco, mas a atuação do time no primeiro tempo foi de dar uma pequena esperança ao torcedor alvinegro. Principalmente se a promessa de contratações para o time titular sejam verdadeiras. Com dois meias de armação o time teve movimentação, criação de jogadas, ultrapassagens, cruzamentos, chutes… foi algo diferente da passividade dos últimos três jogos. Uma frase que nosso treinador disse aos jogadores  serve de mensagem aos mesmos e tentar criar essa nova atmosfera. Disse ele “- Precisamos muito da torcida. Vai ficar bonito com o apoio dela e peço que eles nos ajudem. Eu brinquei no vestiário com os jogadores e falei que quando eu jogava, nunca faltou raça e com isso eu nunca fui vaiado. “

Só que um fato ainda preocupa: a indisciplina. A expulsão de Rodrigo foi ridícula. Elogiável a vontade do mesmo no jogo, mas inconseqüente nas entradas nos adversários. Pior ainda é ver mais uma péssima atuação do Nem. Cada chegada dele eu imagino um cartão na hora, sem contar as falhas na marcação. Tem hora que vira um monstro, tirando todas, mas as vezes comete erros ridículos, colocando em risco nossa zaga. No mais, o time jogou bem o primeiro tempo e se acomodou no segundo tempo, algo explicável pelo resultado construído. Agora é ir em busca de 6 pontos nas próximas duas rodadas para realmente mudar o nosso panorama.

Um passo atrás e os Incriveis numeros de Marcelo Toscano

Ontem o resultado em Blumenau foi totalmente merecido, sem discussão nenhuma. Nosso time ontem parece não ter entrado em campo, principalmente no primeiro tempo, onde conseguimos ser tão apáticos quanto no segundo tempo do primeiro jogo contra o Guarani. Ficou a sensação do time ter dado um passo atrás em relação a evolução apresentada perante a Chapecoense. Aquele toque de bola e movimentação que deixou o torcedor empolgado sumiu ontem.

Claro que não se precisa criar pânico depois de um jogo desses. O adversário era difícil e bem entrosado e aproveitou bem as oportunidades que teve. É uma tendência natural desse inicio de campeonato que o time apresente oscilações em seu desempenho, principalmente por alguns jogadores terem jogados todos os jogos até agora. Mas ficou a sensação de que se Tinga e Danilinho não jogarem bem, o time não anda. Foi um tropeço, mas que pode muito bem ser revertido, sem problemas.

Mas o que me deixa com uma pulga atrás da orelha é o desempenho de dois jogadores: Gerson Magrão e Marcelo Toscano. O primeiro ainda parece estar em modo Offline. Participa muito pouco do jogo, aparecendo pouco no ataque e quando tem a bola em seus pés não da andamento nas jogadas, cadenciando demais. Como já tinha falado, ele não é o camisa 10 que o time precisa. Não é essa função a característica dele. Em relação ao Toscano, o que me preocupa e a falta de competência em colocar a bola na rede. Ele tem boa movimentação, participa do jogo, mas erra muito na hora de finalizar. O Camisa 9 de um time tem que colocar pra dentro quando tem chances e ele ontem teve 4, sendo que em uma tem que se dar parabéns pela defesa do goleiro adversário. Mas a falta de gols do Toscano preocupa e muito, também por não termos no elenco nenhum outro atacante despontando.

Dando uma pesquisada básica na internet, peguei esses número do Marcelo Toscano nos últimos anos:

Temporada 2012/13 – 13 jogos e 1 gol marcado

Temporada 2011/12 – 36 jogos e 8 gols marcados

Temporada 2010/11 – 28 jogos e 5 gols marcados.

 

Então torcedor alvinegro é bom torcer pra pintar algum outro atacante por aqui ou que enfim em sua carreira, Marcelo Toscano ache o caminho efetivo do gol. Abraços